[Guerra & Paz] – OS GRANDES LIVROS de Sun Tzu e Raymond Aron

OS GRANDES LIVROS

Guerra e Paz inaugura nova colecção

A Arte da Guerra, de Sun Tzu, e Memórias, de Raymond Aron, são os dois títulos que inauguram OS GRANDES LIVROS, uma nova colecção da Guerra e Paz. A nova colecção tem um objectivo claro: reunir livros de ensaio fundamentais e perenes. OS GRANDES LIVROS são os clássicos de não-ficção da Guerra e Paz e vai ser uma colecção que terá nas capas sempre a mesma matriz gráfica, um rectângulo de uma cor, translúcido, sobrepondo-se à imagem a preto e branco do autor. A colecção GRANDES LIVROS arranca com duas obras muito distintas até no tamanho. Um livro de 112 páginas ao lado de outro com 768, ambos verdadeiras catedrais do pensamento: vêm do passado, amenizando a arrogância do presente para nos ajudar a sonhar o futuro, porque é essa a verdadeira filosofia desta nova colecção.

A Arte da Guerra, o mais actual dos clássicos, vem pela mão do Sun Tzu, enquanto, da autoria de Raymond Aron, publicamos as suas Memórias, um dos livros mais influentes do século XX, escrito por um dos raros intelectuais europeus que não se enganou em nada. Chegam juntos, às livrarias, a 20 de Fevereiro. A Guerra e Paz está, todavia, angustiada com uma dúvida: mandamos ou não ao presidente Donald Trump estes dois títulos? Pensará ele o mundo de forma diferente, se os ler?

A Arte da Guerra

Sun Tzu

a arte da guerraSinopse:
Escrito há mais de 2500 anos, o mais conhecido tratado de estratégia militar do mundo mantém uma incrível actualidade. Para além da guerra, o grande valor da obra de Sun Tzu reside na possibilidade de adaptação das suas máximas e reflexões a qualquer campo da actividade humana em que haja situações de confronto: nos negócios, na política, no desporto, no amor.
Constituído por um conjunto de treze breves capítulos, este livro convida-nos a conhecer o nosso inimigo e mostra como vencer sem combater. Esta edição inclui ainda notas de alguns dos principais comentadores tradicionais deste grande clássico. É uma leitura indispensável para compreender o que está em jogo e alcançar a vitória. Uma lição de sabedoria e da arte de viver.
A Guerra e Paz, Editores orgulha-se de publicar esta obra, que o renomeado sinólogo inglês Joseph Needham considerava uma «obra-prima única do pensamento militar».

Sobre o Autor:
Sun Tzu terá vivido entre os séculos VI e V a. C. Pouco se sabe sobre este grande estratega chinês. Pensa-se que terá sido conselheiro militar ou general de Ho Lu, rei de Wu, para quem escreveu A Arte da Guerra. Para Sun Tzu, o objectivo é sempre a vitória, mas a melhor estratégia passa por vencer sem combater. O livro só chegou ao Ocidente no século XVIII, altura em que foi traduzido pela primeira vez para francês, tendo atingido grande popularidade nos séculos seguintes. Hoje em dia, continua a influenciar as culturas e políticas tanto no Oriente como no Ocidente.

Notas Editoriais:
Título: A Arte da Guerra
Autor: Sun Tzu
Editora: Guerra & Paz
N° de Páginas: 112
PVP: 13,00€

 

Memórias

Raymond Aron

Bem mais recente, Memórias, de um dos maiores intelectuais franceses do séc. XX, Raymond Aron, é um livro essencial para quem se interessa pelas grandes ideias e políticas do seu tempo, um século de grandes mudanças. Através das suas memórias, que resolveu registar na sequência de uma embolia em 1977, seis anos antes de falecer, Raymond Aron, proporciona ao leitor uma extraordinária reflexão política, analisando aspectos como a ascensão do nazismo, a crítica ao comunismo e às suas ideologias, as estratégias e contra-estratégias da Guerra Fria, as guerras do Vietname e da Argélia, a descolonização francesa e a excessiva valorização do Maio de 1968. Uma análise tão habilitada quanto Aron conheceu de perto algumas das mais importantes figuras da sua época, como Charles de Gaulle, André Malraux, Henry Kissinger ou Giscard D’Estaing. A obra de Raymond Aron está na primeira linha de denúncia de todas as formas de totalitarismos.

memoriasSinopse:
Bem mais recente, Memórias, de um dos maiores intelectuais franceses do séc. XX, Raymond Aron, é um livro essencial para quem se interessa pelas grandes ideias e políticas do seu tempo, um século de grandes mudanças. Através das suas memórias, que resolveu registar na sequência de uma embolia em 1977, seis anos antes de falecer, Raymond Aron, proporciona ao leitor uma extraordinária reflexão política, analisando aspectos como a ascensão do nazismo, a crítica ao comunismo e às suas ideologias, as estratégias e contra-estratégias da Guerra Fria, as guerras do Vietname e da Argélia, a descolonização francesa e a excessiva valorização do Maio de 1968. Uma análise tão habilitada quanto Aron conheceu de perto algumas das mais importantes figuras da sua época, como Charles de Gaulle, André Malraux, Henry Kissinger ou Giscard D’Estaing. A obra de Raymond Aron está na primeira linha de denúncia de todas as formas de totalitarismos.

Sobre o Autor:
Raymond Aron. Antes do tempo ou não, Raymond Aron teve razão no seu tempo e continua a tê-la hoje. A sua obra está na primeira linha da denúncia de todas as formas de totalitarismos.
Filósofo, sociólogo, jornalista, professor e politólogo, Aron nasceu em 1905, em Paris, no seio de uma família de origem judaica, tornando-se conhecido pelo seu cepticismo em relação à esquerda francesa. Estudou na École Normale Supérieure, onde conheceu Jean-Paul Sartre, de quem se tornou amigo e, mais tarde, forte oponente intelectual. Foi colunista no Le Figaro e no L’Express, e leccionou em instituições como a Sorbonne e o Collège de France, tendo tido por alunos figuras como Pierre Bourdieu, André Glucksmann ou Henry Kissinger. Publicou diversos livros influentes que consolidaram a sua posição de autoridade intelectual entre os conservadores franceses. Pensador de invulgar argúcia, é um dos grandes intelectuais do século XX, e autor de vasta obra da qual se destaca O Ópio dos Intelectuais (1957), um conhecido ataque contra Sartre, o marxismo e a intelectualidade francesa, desintoxicando o pensamento unilateral da esquerda e a denegação dos intelectuais marxista face à brutal repressão do comunismo. Em 1977, vítima de uma embolia, repensa a sua vida e decide então escrever suas memórias. Morre em 1983.
A reedição das suas Memórias, trinta e cinco anos depois, permite julgar melhor a lucidez e a profundidade do seu pensamento.

Notas Editoriais:
Título: Memórias
Autor: Raymond Aron
Editora: Guerra & Paz
N° de Páginas: 768
PVP: 30.00€

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s